Plataforma P-62 segue para o campo de Roncador, na Bacia de Campos

FPSO tem capacidade para processar diariamente 180 mil barris de petróleo e seis milhões de m³ de gás natural dos reservatórios do pós-sal
A plataforma de produção FPSO P-62, um dos projetos estratégicos do Plano de Negócios e Gestão 2013-2017, está a caminho de sua locação no Módulo IV do Campo de Roncador, na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. A P-62 deixou nesta segunda-feira (30/12) o Estaleiro Atlântico Sul, em Ipojuca (PE), onde foram concluídos os serviços de conversão e integração dos 15 módulos à unidade. A previsão é que a plataforma chegue ao complexo denominado campo de Roncador, dentro de seis a oito dias, dependendo das condições de mar.

P-62
Do tipo FPSO (unidade que produz, armazena e transfere petróleo, na sigla em inglês), a unidade tem capacidade para processar diariamente até 180 mil barris de petróleo e seis milhões de metros cúbicos de gás natural dos reservatórios do pós-sal.

A P-62 será instalada a cerca de 125 km da costa, na Bacia de Campos, em águas com profundidade de 1.600 metros. Serão interligados à plataforma 14 poços produtores e oito poços injetores, por meio de 150 km de dutos flexíveis e dois manifolds submarinos (equipamentos que transferem o petróleo dos poços para a plataforma). O escoamento de petróleo se dará por navios aliviadores e o do gás natural por gasoduto até a Unidade de Tratamento de Gás de Cabiúnas, em Macaé, no Rio de Janeiro.

Junto com outros empreendimentos da Petrobras, a construção da P-62 consolida a expansão da indústria naval brasileira. A obra gerou cerca de 5 mil empregos diretos, 15 mil indiretos, e alcançou 63% de conteúdo nacional. A construção dos 15 módulos, a conversão do casco e a integração da unidade foram feitas no Brasil.

Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC), a plataforma é a nona nova unidade entregue à companhia em 2013. A cerimônia de conclusão das obras da P-62 ocorreu no Estaleiro Atlântico Sul, no dia 17 de dezembro, com as presenças da presidenta da República Federativa do Brasil, Dilma Rousseff, e da presidente da Petrobras, Graça Foster.

A P-62:
Capacidade de processamento de petróleo: 180 mil barris/dia;
Capacidade de tratamento e compressão de gás: 6 milhões m3 /dia;
Conteúdo local: 63%;
Capacidade de tratamento de água de injeção: 42 mil m³/dia;
Capacidade de geração elétrica: 100 MW;
Profundidade de água: 1.600 m;
Acomodações: 110 pessoas;
Peso total da plataforma: 60.500 toneladas.

Deixe uma resposta